Pesquisar este blog

3 de fev de 2012

Abandono de uma comunidade...

Detalhe interno do Ponto de ônibus

Pilar do ponto do ônibus

Detalhe interno do ponto do ônibus

Visão geral do ponto do ônibus.

Detalhe da estrada de acesso à comunidade

Detalhe da estrada


Detalhe da estrada

Detalhe da estrada

Esta estrada é o único acesso à comunidade. A estrada possui cerca de 8km e os pontos que exigem reparo urgente é de cerca de 3km.

As fotos falam por si. Este é o estado de abandono da comunidade do Rio Pequeno. Esta comunidade possui cerca de 90 moradores além dos proprietários de terras que lá não residem, que estão sofrendo com este problema. Para se ter uma idéia, este ponto de ônibus é da época do Edson Lacerta e desde então, nenhuma manutenção foi realizada segundo nos informa moradores.
Também segundo moradores nenhum dos trabalhos iniciados pela Prefeitura na localidade foram concluidos.

1 de fev de 2012

A Praça da Matriz da Casa Azul

Enquanto as obras seguiam, mesmo em meio aos absurdos que presenciamos, uma parte da população assistia com expectativa o término da obra para que pudessem fazer algum juízo.
O projeto que antes (após muitos protestos da população) foi colocado em forma de desenho colorido é realidade. E que realidade... Um Mar de Anticultura.
A Praça da Casa Azul está com a cara que sempre esteve: terrível, pobre, sem identidade, árida, destoante e totalmente distante dos desejos e do que a população possuía no coração do Centro Histórico.
Agregado a esta definição acrescenta-se a profunda tristeza de perder o aconchego, as lembranças, o local onde nós paratienses tínhamos o prazer de freqüentar seja para ler, tomar sorvete, participar das festas, cismar em meio às árvores e muretas que continham nossas vidas e lembranças caras em cada pedacinho.
Não sabemos se neste momento sentimos vergonha ou tristeza. Revolta ou desgosto.
Uma coisa é certa – esta OSCIP conseguiu massacrar a autoestima de nossa população. E a dor foi tão imensa que fez surgir em cada coração vazio uma necessidade urgente de se fazer ouvir, de lutar. Seu “embrião” não será embalado por nós, tão pouco esquecido.
Os percalços de nossas vidas nos ensinam. Em sociedade o mesmo acontece. E esta Praça que agora abriga em seu seio pula pula cobrado, pedras (segundo alardearam “muretas”) ladeando bancos construídos “segundo técnicas tradicionais navais” cujo aprendizado foi necessário através de oficina, será nosso novo símbolo: da indignação de uma população e do início de um processo de cidadania que emana da certeza que CHEGA.
Em fotos registramos a história do nascimento da Praça da Casa Azul e da destruição de nossa Praça da Matriz
As legendas são respostas dadas pela Casa Azul ao BNDES quando questionada pelas denúncias de cidadãos paratienses contra esta obra, divulgações em sites e jornais, e afirmações desta ao apresentar o Projeto ao MinC.
"Em agosto a Associação Casa Azul iniciou as obras de Restauro e Requalificação da Praça da Matriz, no coração da Paraty"

"O projeto seguiu o Termo de Referência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.."

"CASA AZUL INICIA RESTAURO E REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA DA MATRIZ EM PARATY "
"Dia 17 de agosto de 2011 Audiência Pública na Casa da Cultura para ouvir sugestões e críticas"


"O processo teve os tramites legais, ou seja, durante dois anos no Ministério da Cultura e com avaliações do IPHAN escritório Técnico do Rio de Janeiro com publicações em Diários Oficiais"

"A população paratiense é bastante participativa e preocupada com a cidade"

"Projeto apresentado, aprovado e patrocinado pelo BNDES em 2010"

"Quanto ao paisagismo não houve discórdia, pois todas as árvores serão mantidas apenas a arvore central, que é uma palmeira leque, a qual já se encontra com sua vida útil que é de 30 anos vencida. Esta área central foi aceita como uma área que ficará livre para possíveis manifestações culturais."

"É possível entender um pouco mais com a reportagem da TvRio Sul: http://riosulnet.globo.com/web/conteudo/16_279580.asp
Reforma da Praça da Matriz causa polêmica entre os moradores de Paraty"


"O projeto de restauro e requalificação da Praça da Matriz buscou recuperar e reunir elementos da memória coletiva da cidade por meio de pesquisas históricas, entrevistas com antigos moradores e reuniões com a comunidade e é uma das ações do Plano Estratégico Mar de Cultura de Paraty.
Participem. Tragam suas fotos antigas da Praça da Matriz para compartilharmos e criarmos um acervo conjunto"

"
Quanto ao paisagismo não houve discórdia, pois todas as árvores serão mantidas apenas a arvore central, que é uma palmeira leque, a qual já se encontra com sua vida útil que é de 30 anos vencida. Esta área central foi aceita como uma área que ficará livre para possíveis manifestações culturais"


"Por meio de um equilíbrio entre a preservação do patrimônio histórico e a adoção de medidas de adequação do espaço à contemporaneidade, o projeto propõe a valorização da vocação social e identitária desse espaço público tão importante para a cidade, potencializando-o enquanto território das manifestações culturais paratienses"



"A avaliação da Casa Azul é muito positiva sobre este processo todo, pois se mostra como uma oportunidade muito boa de exercício da democracia"

"O projeto de Restauro e Revitalização da Praça da Matriz, desenvolvido pela Associação Casa Azul, que foi validado pelo Plano Estratégico Mar de Cultura e tem a aprovação do Ministério da Cultura, do IPHAN e da Prefeitura Municipal de Paraty, conta com o patrocínio do BNDES, via Lei Rouanet (pronac n°065649), e da Eletronuclear"

"O projeto veio contemplar a uma demanda da população, do setor de turismo, idosos e deficientes e da Gestão Pública de Paraty"

"Como objetivos específicos: “restauro e revitalização da Praça da Matriz em Parati – RJ, para o cumprimento das seguintes metas:
. Incentivar a conservação do patrimônio ambiental, histórico e artístico;
. Promover o desenvolvimento das comunidades tradicionais;
. Fomentar o turismo sensível aos valores da cultura local e à preservação dos ecossistemas naturais;
. Revitalização urbana dos espaços públicos"

"Como justificativa alega que o projeto possui as seguintes circunstâncias que favorecem sua execução:
. o apoio da comunidade local paratiense em revitalizar seus espaços públicos;
. o envolvimento de diferentes órgãos públicos, equipe técnica e sociedade civil."


“Embora a referência fosse o projeto de 1916, trabalhamos com liberdade para adaptar a praça à demanda atual de uso e acessibilidade. Além disso, criou-se na cidade um consenso para que se faça uma pesquisa arqueológica nas ruas adjacentes, que foram muito reconfiguradas no decorrer do tempo. Com base nesse estudo, poderemos estender o alcance da intervenção para o entorno.” (Mauro Munhoz,arquiteto paulistano)

"A população paratiense é bastante participativa e preocupada com a cidade. As reuniões estão sendo muito produtivas, estamos conseguindo extrair muitas coisas interessantes da população, que serão muito úteis para o projeto da Praça"

"Acessibilidade... Novos bancos com encosto e mais árvores... valorização das tradições locais..."


"O projeto tem como base de referência histórica o projeto de 1920 de Samuel Costa"

"Podemos afirmar que por unanimidade da Comissão de Trabalho Representativa foi acolhida as sugestões de manutenção das muretas, assim como o aumento de nº de bancos com encosto tendo como referência os bancos do “Senadinho” (bancos localizados embaixo dos jambeiros em frente à quadra)"

"Essa realidade levou a Casa Azul a propor um projeto que tem como objetivo principal tornar a Praça da Matriz um espaço melhor, mais agradável e confortável, ou seja, um local à altura do que ela significa para todos os paratienses"

"Requalificação- uso de técnicas e materiais que assegurem a durabilidade e facilitem a manutenção.
- aumento das áreas permeáveis e das condições de drenagem.
- plantio de novas árvores, mais sombra e conforto.
- aumento dos espaços livres tornando o passeio mais generoso.
Restauro- resgate de aspectos do projeto original da década de 1920.
- manutenção de elementos atuais da praça, como o desenho dos passeios e as árvores."

"O projeto também inclui- estudo e levantamento arqueológico;- pesquisa histórica;
- consultorias técnicas da Avape (acessibilidade) e da Monobeton (especializada em pisos);- apresentações do projeto para o Grupo Gestor Mar de Cultura Paraty;- reuniões com a comissão de trabalho representativa;- cursos de capacitação"


"A avaliação da Casa Azul é muito positiva sobre este processo todo, pois se mostra como uma oportunidade muito boa de exercício da democracia. A experiência destas reuniões com certeza será de muito proveitosa para o projeto da Praça e para projetos futuros de revitalização urbana"
 “o projeto é um grande diferencial. É um embrião de toda uma revitalização dos espaços públicos de borda d’água da cidade de Parati, onde contempla uma preocupação social, cultural e econômica em resgatar e valorizar culturas, tradições e costumes locais.”