Pesquisar este blog

7 de out de 2011

Esta árvore foi retirada da Praça

Esta árvore foi retirada do centro da Praça da Matriz. As fotos são do dia 24/09/2011.
Foi retirada do chão uns 3 dias após fotografarmos e não sabemos o que foi feito com ela.



















E  pelo jeito a árvore da foto abaixo parece que seguirá o mesmo caminho. Já está pendida pelo peso dessa montanha de brita.

Fotos tiradas em 6/10/11 - Rítmo acelerado a revelia da vontade popular




Também esta árvore corre o risco de morrer sob o peso dessa montanha de brita.







6 de out de 2011

MATÉRIA VEICULADA PELA CASA AZUL EM 16 A 22 DE AGOSTO DE 2011


CASA AZUL INICIA RESTAURO E REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA DA MATRIZ EM PARATY
    Obra resgatará o desenho original de 1920.
    Em agosto a Associação Casa Azul iniciou as obras de Restauro e Requalificação da Praça da Matriz, no coração da Paraty. A obra conta com patrocínio do BNDES, via Lei Rouanet, Eletronuclear, apoio do Ministério da Cultura e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e é uma das ações do Plano Estratégico Mar de Cultura de Paraty. A previsão para a conclusão do trabalho é de 3 meses e será desenvolvido em duas fases, para que metade da praça esteja sempre em uso pela população.
    O projeto de restauro e requalificação da Praça da Matriz buscou recuperar e reunir elementos da memória coletiva da cidade através de pesquisas históricas, entrevistas com antigos oradores e reuniões com a comunidade. O projeto resgata aspectos do desenho original de 1920. O piso dos passeios internos voltarão a ser de saibro e o perímetro em concreto. Os canteiros, a grama e os caminhos ficarão todos no mesmo nível, viabilizando a acessibilidade irrestrita e valorizando a integração com o entorno do conjunto histórico, possibilitando a implantação de novos bancos de madeira, cuja confecção incorporará as técnicas locais de carpintaria.
    Por meio de um equilíbrio entre a preservação do patrimônio histórico e a adoção de medidas de adequação do espaço à contemporaneidade, o projeto propõe a valorização da vocação social e identitária desse espaço público tão importante para a cidade, potencializando-o enquanto território das manifestações culturais paratienses.
    A Associação Casa Azul convida todos a participarem do encontro sobre o projeto de restauro e requalificação da Praça da Matriz a ser realizado no dia 17/08/2011 (quarta-feira) às 17:30 na Casa da Cultura.
    Tragam suas fotos antigas da Praça da Matriz para compartilharmos e criarmos um acervo conjunto.
    Associação Casa Azul
    Reconhecida como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), pelo Ministério da Justiça, a Associação Casa Azul foi constituída em 2002, a fim de dar continuidade a projetos que já vinham sendo desenvolvidos desde 1994, visando a qualificação dos espaços públicos de Paraty. A Associação Casa Azul entende o território como a articulação das dimensões física, social e cultural do espaço, e mantém uma forte relação com a cidade, desenvolvendo projetos e estudos nas áreas de arquitetura, urbanismo, educação e crítica do seu futuro. Um dos objetivos da organização é potencializar transformações sociais e urbanas no território por meio da cultura, e estimular o desenvolvimento de economias criativas sensíveis aos valores das culturas locais e à preservação do meio ambiente.
Informações para a imprensa:
A4 Comunicação (11) 3897-4122
Paula Corrêa – paulacorrea@a4com.com.br
Neila Carvalho – neilacarvalho@a4com.com.br
Simon Widman – simonwidman@a4com.com.br

Nesta matéria a Casa Azul convida para um "encontro" na Casa  da Cultura no dia 17/8/11,  que aconteceria no dia seguinte à publicação da matéria pelo jornal, com o intuito de "compartilhar e criar um acervo conjunto de fotos". De resto ela informa sobre a obra e a previsão para sua conclusão dizendo ser de 3 meses, e no restante da matéria faz propaganda de si.
Vale lembrar que este convite aconteceu porque no dia 11/08/2011 foi postada no site Paraty Trip uma petição on line pedindo ao Prefeito o cancelamento desta obra e que já contava com cerca de 300 assinaturas.
Estranho nos parece que nos dias subsequentes a Casa Azul passa a chamar este encontro de reunião e depois de Audiência Pública, retornando agora a denominá-lo de "encontro público".

MATÉRIA PUBLICADA PELA CASA AZUL NO JORNAL DE PARATY DE 6 A 12 DE SETEMBRO DE 2011

Construindo um projeto para o restauro e a requalificação da Praça da Matriz de Paraty
Publicado em 6 a 12 de setembro de 2011 – Jornal de Paraty

Em agosto deste ano a Associação Casa Azul iniciou as obras de restauro e requalificação da Praça da Matriz, no coração de Paraty. A obra conta com  patrocínio do BNDES, via Lei Rouanet, Eletronuclear, apoio do Ministério da Cultura, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), da Prefeitura Municipal de Paraty e é uma das ações do Plano Estratégico Mar de Cultura de Paraty.
O restauro e requalificação da Praça da Matriz busca recuperar e reunir elementos da memória coletiva da cidade por meio de pesquisas históricas, entrevistas com antigos moradores e reuniões com a comunidade. Objetivando um equilíbrio entre a preservação do patrimônio histórico e a adoção de medidas de adequação do espaço à contemporaneidade, a proposta contempla o resgate de elementos do projeto original da década de 1920, assim como adequações que garantam a acessibilidade para todos.
O projeto faz parte de um estudo mais amplo de leitura do território paratiense ao qual a Associação Casa Azul se dedica desde 1994. O caminho foi longo. Desde a inscrição no Ministério da Cultura do Projeto de Restauro e Revitalização da Praça da Matriz até hoje foram 6 anos de trabalho, que contou com a participação de técnicos, instituições e órgãos competentes. Agora o projeto acaba de completar mais uma etapa: a partir das demandas levantadas na audiência pública do dia 17 de agosto último, ocorrida na Casa da Cultura, foram eleitos democraticamente 13 delegados, representando diferentes grupos da sociedade paratiense. A idéia foi consolidar uma comissão de trabalho representativa, validada no dia 18 de agosto no mesmo local, para debater, construir, informar e garantir que o projeto para a praça reflita os desejos da população paratiense.
Os encontros da comissão de trabalho representativa ocorreram nos dias 23, 24, 25 e 26 de agosto de 2011 e as reuniões com a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Paraty, ocorreram nos dias 22 e 26 da mesma semana. Objetivando a construção coletiva desse espaço público tão importante para a cidade, foram feitas dinâmicas para incorporar no projeto os usos e desejos da população em harmonia com as questões técnicas. Os ganhos mais significativos para o projeto vieram justamente dessa junção, como, por exemplo, a manutenção das muretas com melhorias e readequações; aumento do número de bancos com encosto; a readequação do paisagismo e o entendimento da necessidade de passeios com piso regular para proporcionar uma multiplicidade de usos e a acessibilidade irrestrita. A experiência desses encontros foi fundamental para a construção de um projeto mais inclusivo e democrático, mostrando a importância do diálogo e do debate aberto para se pensar coletivamente os espaços públicos de Paraty.
Ainda este mês a comissão de trabalho representativa voltará a se reunir para aprovar o projeto final da Praça da Matriz.
Para mais informações acesse o blog http://grupogestormardecultura.wordpress.com/
Andréa Maseda
Assistente de Produção
Festa Literária Internacional de Paraty – FLIP
Associação Casa Azul
Alameda Princesa Isabel, 2, Pontal, Paraty/RJ
T+55 24 3371 7082, ramal 23
M + 55 24 78342422
ID 11*25308
www.flip.org.br

Estranho é que em seu blog a Casa Azul posta este texto publicado no Jornal de Paraty com algumas alterações (partes em vermelho). Veja abaixo:

Construindo um projeto para o restauro e a requalificação da Praça da Matriz de Paraty
Publicado em setembro 27, 2011 por casaazul
Em agosto deste ano a Associação Casa Azul iniciou as obras de restauro e requalificação da Praça da Matriz, no coração de Paraty. O projeto foi validado pelo Plano Estratégico Mar de Cultura, aprovado pelo Ministério da Cultura, IPHAN, pela Prefeitura Municipal de Paraty e conta com o patrocínio do BNDES, via Lei Rouanet (PRONAC  °065649), e da Eletronuclear.
O restauro e requalificação da Praça da Matriz buscou recuperar e reunir elementos da memória coletiva da cidade por meio de pesquisas históricas, entrevistas com antigos moradores e reuniões com a comunidade. Objetivando um equilíbrio entre a preservação do patrimônio histórico e a adoção de medidas de adequação do espaço à contemporaneidade, a proposta contempla o resgate de elementos do projeto original da década de 1920, assim como adequações que garantam a acessibilidade para todos.
O projeto faz parte de um estudo mais amplo de leitura do território paratiense ao qual a Associação Casa Azul se dedica desde 1994. O caminho foi longo. Desde a inscrição no Ministério da Cultura do Projeto de Restauro e Revitalização da Praça da Matriz até hoje foram 6 anos de trabalho, que contou com a participação de técnicos, instituições e órgãos competentes. Agora o projeto acaba de completar mais uma etapa: a partir das demandas levantadas no encontro público do dia 17 de agosto último, ocorrida na Casa da Cultura, foram eleitos democraticamente 13 representantes de diferentes grupos da sociedade paratiense. A idéia foi consolidar uma comissão de trabalho representativa, validada no dia 18 de agosto no mesmo local, para debater, construir, informar e garantir que o projeto para a praça reflita os desejos da população paratiense.
Os encontros da comissão de trabalho representativa ocorreram nos dias 23, 24, 25 e 26 de agosto de 2011 e as reuniões com a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Paraty, IPHAN e SEDUMA ocorreram nos dias 22 e 26 da mesma semana. Objetivando a construção coletiva desse espaço público tão importante para a cidade, foram feitas dinâmicas para incorporar no projeto os usos e desejos da população em harmonia com as questões técnicas. Os ganhos mais significativos para o projeto vieram justamente dessa junção, como, por exemplo, o redesenho das muretas; aumento do número de bancos com encosto; a readequação do paisagismo e o entendimento da necessidade de passeios com piso regular para proporcionar uma multiplicidade de usos e a acessibilidade irrestrita. A experiência desses encontros foi fundamental para a construção de um projeto mais inclusivo e democrático, mostrando a importância do diálogo e do debate aberto para se pensar coletivamente os espaços públicos de Paraty. (GRIFO NOSSO NAS DIFERENÇAS NO TEXTO).
"Ainda este mês a comissão de trabalho representativa voltará a se reunir para aprovar o projeto final da Praça da Matriz."  JP de 2 a 16 de set/11

Será que a Reunião na Prefeitura refere-se a esta afirmação???

5 de out de 2011

Apresentação atualizada do Projeto de Restauro e Revitalização da Praça da Matriz apresentada  na reunião ocorrida no dia 29/09/2011 na Prefeitura Municipal de Paraty.

Pontos de destaques contemplados durante as reuniões da Comissão Representativa de Trabalho:
- mais bancos e bancos com encosto
- inclusão das muretas

Compareceram:
- José Carlos Porto Neto - Prefeito Muncipal
- Maria Brasilicia – Secretária Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
- Hilton Melo Silva – Secretário Municipal de Planejamento
- Amaury Barbosa – Secretário Municipal de Cultura
- Rodrigo Penha – Secretário Executivo de Governo
- Deilimar Barros da Silva – Presidente da Câmara Municipal de Vereadores
- Fuad José Minair Neto – Vereador Municipal
- Izaques Merendas Cordeiro – Vereador Municipal
- Lauro Cantidio Belchior – Vereador Municipal
Membros da Comissão Representativa de Trabalh0
- Silvia Salzmann – Convention Bureau
- José Cassio – Associação de Engenheiros e Arquitetos de Paraty
- Jorge Martins – A Janela de Paraty – Midias
- André Bazzanella – IPHAN
- Gabriel Ramos Costa – Movimento Jovem
- Adriana Cruz – Comerciantes/Ateliês do Centro Histórico
- Cristina Maseda – Associação Casa Azul
- Ouvintes presentes

Esta matéria foi postada pela Casa Azul no site do Grupo Gestor Mar de Cultura.

"Pontos de destaques contemplados durante as reuniões da Comissão Representativa de Trabalho:
- mais bancos e bancos com encosto
- inclusão das muretas"

Voltamos a perguntar a que comissão Representativa de Trabalho se refere a Casa Azul?
Em momento algum pedimos mais bancos, os poucos representantes de uma parcela da população que lá estavam desejava as muretas de pedras como elas são e a praça como ela é.
Não houve inclusão de muretas e sim a inclusão de pedras fazendo as vezes de muretas em alguns pontos , segundo interpretação da Casa Azul aos nossos apelos, e que o IPHAN, a princípio, aceitou por serem reversíveis, quer dizer podem ser tiradas a qualquer tempo sem demandar obra, pelo que pudemos entender da explicação dada pelo seu responsável.
Insistimos, o Grupo Gestor Mar de Cultura, o qual a Casa Azul preside, aprovou uma ação não um projeto específico.
Nos perguntamos inclusive onde podemos acessar a "Ata da Reunião" onde este projeto foi validado segundo a Casa Azul. Como foi informado pela Casa Azul no Histórico do Projeto de Reforma da Praça no dia 30/01/2009 ocorreu a apresentação do Projeto de Restauro e Revitalização da Praça da Matriz. No site do Grupo Gestor as atas postadas iniciam-se em março/2009. Conforme abaixo retirado do site:
                   março 2009


 
Podemos observar pela listagem dos membros da citada "comissão de trabalho representativa" que esta compunha-se de órgãos que já haviam aprovado o projeto, pela própria Casa Azul, por pessoas que não representavam o segmento alegado como Adriana Cruz que se vê mais uma vez representando comerciantes (papel este da Acip) e que por reiteradas vezes questionou seu nome como representante de tal segmento. A mídia local e tradicional da cidade nomeou representante para esta comissão?
E os outros nomes desta "comissão" porque não estavam presentes?
Perguntamos em que momento esteve presente a população em geral?
Desta vez não listaram :
- Maria Brasilicia – Secretária Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, que fez parte desta "comissão". Por que será?
Aos vereadores presentes foi feito pedido formal de Audiência Pública pelo Movimento Amamos Paraty  para que a voz da população fosse ouvida e este pedido não foi acatado.
No entanto temos que concordar: - para que afinal convidar a população para um projeto/obra já decidido e em ritmo acelerado das obras, a revelia dos desejos desta população?
Como foi dito pelas autoridades o povo reclama um pouco com as mudanças, a exemplo das correntes quando foram colocadas, mas depois acostuma.

4 de out de 2011

Postado no Blog da Casa Azul o folder entregue na reunião da Prefeitura

Slide do projeto em desenho atualizado


Slide em maquete eletrônica apresentado no dia 17/08/11.





Agora o slide do projeto da Praça virou desenho...
O projeto é o mesmo, apenas  afirmam agora que haverá encostos nos bancos, pedras que farão as vezes de muretas e afirmam que mais árvores serão plantadas. Segundo a Casa Azul essas foram as contribuições da população. Não sabemos em que posição e quais/quantas árvores serão plantadas porque a planta apresentada é a mesma, o mesmo em relação aos bancos e pedras/muretas.

Planta postada no blog da Casa Azul que é a apresentação atualizada do projeto

Planta no slide apresentado no dia 17/08/11

Aliás agora chamam de encontro público o que em 17/08/2011 era encontro, que virou reunião, que depois chamou de Audiência Pública inclusive em matéria no Jornal de Paraty.
Agora dizem que o projeto foi validado pelo "Plano Estratégico Mar de Cultura" que até onde sabemos aprovou "uma ação" e não um "projeto específico". Não podemos esquecer que a Casa Azul preside este Grupo Gestor.

"O restauro e requalificação da Praça da Matriz buscou recuperar e reunir elementos da memória coletiva da cidade por meio de pesquisas históricas, entrevistas com antigos moradores e reuniões com a comunidade. "

A entrevista com antigos moradores de que fala a Casa Azul foi realizada com 8 pessoas, em pesquisa realizada pelo Diuner, a quem respeitamos, e que segundo ele foram realizadas "visando tão somente consolidar as informações documentais obtidas e saber da vivência deles em relação ao logradouro". 
Quanto às reuniões com a comunidade perguntamos à população quando e onde aconteceram tais reuniões?
Vejam postadas neste blog Declarações de várias Associações que afirmam o contrário.
Esse projeto é de 2006 e estamos em 2011. As obras iniciaram em agosto/2011.
Em que momento aconteceram essas reuniões? Até onde podemos saber um encontro aconteceu na Casa da Cultura, por conta de uma Petição on line pedindo seu cancelamento postada no Paraty trip e que já contava com cerca de 300 assinaturas, no dia 17/08/2011, cujo convite foi realizado a alguns e no site da flipzona no dia 16/08/2011, estando as obras em pleno andamento. Neste encontro a maioria mostrava-se surpresa com a quebra da praça e contra o projeto. No dia seguinte houve outra reunião que também resultou na insatisfação dos presentes em relação a obra. Foi marcado um GT (segundo a Casa Azul) que iria se reunir entre os dias 23 a 26/08/11 para discutir o projeto. Esse GT que a Casa Azul chama de "comissão representativa" era composto em sua maioria de órgãos que haviam aprovado o projeto e representações que não tinham legitimidade. Associação e cidadãos que nele tentaram se integrar não foram aceitos porque segundo a Casa Azul 12 membros era o ideal para se discutir o assunto.

"Objetivando a construção coletiva desse espaço público tão importante para a cidade, foram feitas dinâmicas para incorporar no projeto os usos e desejos da população em harmonia com as questões técnicas".

Muito nos espanta tal afirmação baseados no documento de Solicitação de Apoio a Projetos apresentado ao MINC. Neste documento a Casa Azul apresenta-se conhecedora dos anseios da população, de seus hábitos e usos em relação a Praça da Matriz. Neste mesmo documento prevê a apresentação do Projeto à comunidade em três momentos anteriores (estudo preliminar, anteprojeto e projeto executivo) ao projeto definitivo que daria então respaldo ao início das obras. Como essas etapas não foram cumpridas o que vimos foi uma tentativa de realizar o que deixou de ser feito já com as obras em andamento. E agora a apresentação do Projeto Definitivo com as obras em ritmo acelerado, em metade da Praça, mesmo diante do repúdio da população a esta intervenção.

"A experiência desses encontros foi fundamental para a construção de um projeto mais inclusivo e democrático, mostrando a importância do diálogo e do debate aberto para se pensar coletivamente os espaços públicos de Paraty".

Perguntamos que debate aberto houve? A que diálogo se refere a Casa Azul? A população teve ou tem acesso ao projeto? A população legitimamente foi ouvida? Houve Audiência Pública? Até agora o que sabemos foi passado em dois slides praticamente iguais (um em maquete eletrônica e outro em desenho). As únicas mudanças alegadas dizem respeito a bancos com encosto, pedras substituindo muretas em alguns pontos e plantio de mais árvores.


"...e garantir que o projeto para a praça reflita os desejos da população paratiense".
Perguntamos à população paratiense se esse projeto/obra reflete seus desejos para a Praça da Matriz?
A população não deseja esse projeto, nunca o apoiou e tão pouco o apoia agora. Queremos a Praça da Matriz como ela é.